Total de visualizações de página

PESSOAS QUE GOSTAM DESTE SITE

13 novembro 2013

LIÇÃO 7 – CONTRAPONDO A ARROGÂNCIA COM A HUMILDADE / SLIDES DA LIÇÃO


ATENÇÃO!

PARA BAIXAR TODOS OS SLIDES COM A QUALIDADE ORIGINAL CLIQUE AQUI












 LIÇÃO 7 – CONTRAPONDO A ARROGÂNCIA COM A HUMILDADE




TEXTO ÁUREO
"A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda" (Pv 16.18).

VERDADE PRÁTICA
A humildade é uma virtude que deve ser zelosamente cultivada, pois a arrogância leva à destruição e à morte eterna.


INTRODUÇÃO
A humildade, a honra e a coragem são a base do bom relacionamento entre as pessoas. Mas a arrogância, a desonra e a covardia são a causa de inimizades e conflitos. Nesta lição, veremos a relação entre a humildade e a arrogância à luz de alguns contrastes bastante didáticos e ilustrativos: o sábio e o insensato, o justo e o injusto, o rico e o pobre, o príncipe e o escravo.

Em qual grupo você se encontra? É hora de aplicarmos à nossa vida as preciosas lições do livro de Provérbios.






I - O SÁBIO VERSUS O INSENSATO


1. Sabedoria e humildade. A sabedoria é entendida como a aplicação correta do conhecimento em nosso dia a dia. Em Provérbios, ela é vista como um antídoto contra a arrogância. Daí a insistência do sábio em que se busque adquirir a sabedoria (Pv 16.16) “Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E quanto mais excelente, adquirir a prudência do que a prata!”. A sabedoria retratada em Provérbios demonstra ser eficaz contra a arrogância e a soberba, pois quem é sábio age com humildade (Pv 11.2) “Vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria”.

Em o Novo Testamento, o apóstolo Paulo sabia dessa verdade e, por isso, orou para que o Senhor concedesse aos crentes "espírito de sabedoria e de revelação" (Ef 1.17).


2. Insensatez, arrogância e altivez. Na visão de Provérbios, o arrogante é uma pessoa insensata e desprovida de qualquer lucidez e bom senso. Verdadeiramente, o arrogante está pronto a fazer o mal, pois age com soberba e altivez (Pv 6.18) “e coração que maquina pensamentos viciosos, e pés que se apressam a correr para o mal”. É uma pessoa inexperiente, sem domínio próprio (Pv 25.28) “Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito”, ingênuo (Pv 27.12) “O avisado vê o mal e esconde-se; mas os simples passam e sofrem a pena”, sem bom-senso (Pv 27.7) “A alma farta pisa o favo de mel, mas à alma faminta todo amargo é doce” e que se comporta como um animal ou um bêbado (Pv 26.3,9) “O açoite é para o cavalo, o freio, para o jumento, e a vara, para as costas dos tolos. Como o espinho que entra na mão do ébrio, assim é o provérbio na boca dos tolos”.

Por isso, o insensato não pode ser designado para um serviço (Pv 26.6,10) “Os pés corta e o dano bebe quem manda mensagens pelas mãos de um tolo. Como um besteiro que a todos espanta, assim é o que assalaria os tolos e os transgressores”. Ele é fanfarrão, preguiçoso e incorrigível (Pv 25.14) “Como nuvens e ventos que não trazem chuva, assim é o homem que se gaba falsamente de dádivas” (Pv 26.11,13-26) “Como o cão que torna ao seu vômito, assim é o tolo que reitera a sua estultícia. Diz o preguiçoso: Um leão está no caminho; um leão está nas ruas. Como a porta se revolve nos seus gonzos, assim o preguiçoso, na sua cama. O preguiçoso esconde a mão no seio; enfada-se de a levar à sua boca. Mais sábio é o preguiçoso a seus olhos do que sete homens que bem respondem. O que, passando, se mete em questão alheia é como aquele que toma um cão pelas orelhas. Como o louco que lança de si faíscas, flechas e mortandades, assim é o homem que engana o seu próximo e diz: Fiz isso por brincadeira. Sem lenha, o fogo se apagará; e, não havendo maldizente, cessará a contenda. Como o carvão é para o borralho, e a lenha, para o fogo, assim é o homem contencioso para acender rixas. As palavras do maldizente são como deliciosos bocados, que descem ao íntimo do ventre. Como o caco coberto de escórias de prata, assim são os lábios ardentes e o coração maligno. Aquele que aborrece dissimula com os seus lábios, mas no seu interior encobre o engano. Quando te suplicar com a sua voz, não te fies nele, porque sete abominações há no seu coração. Ainda que o seu ódio se encobre com engano, a sua malícia se descobrirá na congregação” (Pv 27.22) “Ainda que pisasses o tolo com uma mão de gral entre grãos de cevada pilada, não se iria dele a sua estultícia”. Sua presença é um perigo, pois além de falso e maldizente é ignorante (Pv 26.18-22) “Como o louco que lança de si faíscas, flechas e mortandades, assim é o homem que engana o seu próximo e diz: Fiz isso por brincadeira. Sem lenha, o fogo se apagará; e, não havendo maldizente, cessará a contenda. Como o carvão é para o borralho, e a lenha, para o fogo, assim é o homem contencioso para acender rixas. As palavras do maldizente são como deliciosos bocados, que descem ao íntimo do ventre”. Ele não age com a razão e não sabe controlar a própria vontade, sendo, portanto, uma abominação para o Senhor (Pv 16.5) “Abominação é para o SENHOR todo altivo de coração; ainda que ele junte mão à mão, não ficará impune”.








II - O JUSTO VERSUS O INJUSTO
1. Justiça e humildade. Em Provérbios, a humildade e a justiça são inseparáveis. Ali, o princípio de vida proposto pelo sábio é simples: quem é justo deve agir com humildade, quem é humilde deve agir com justiça. Salomão, ainda bem jovem, pediu humildemente sabedoria a Deus para governar Israel com justiça (1 Rs 3.7-10) “Agora, pois, ó SENHOR, meu Deus, tu fizeste reinar teu servo em lugar de Davi, meu pai; e sou ainda menino pequeno, nem sei como sair, nem como entrar. E teu servo está no meio do teu povo que elegeste, povo grande, que nem se pode contar, nem numerar, pela sua multidão. A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo? E esta palavra pareceu boa aos olhos do Senhor, que Salomão pedisse esta coisa”. Ele queria que a justiça alcançasse todo o seu reino (Pv 1.1-3) “Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel. Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem as palavras da prudência; para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a eqüidade”.

A pessoa humilde e justa sabe que a justiça vem diretamente de Deus (Pv 29.26) “Muitos buscam a face do príncipe, mas o juízo de cada um vem do SENHOR”. Por isso, ela deve ser amorosa e sabiamente exercitada.



2. Injustiça e arrogância. A insensatez e a arrogância são categorias morais que aparecem associadas à prática da injustiça. Nenhum arrogante agirá com humildade e tampouco o injusto procederá com justiça. O arrogante possui uma escala de valores distorcida e não se dá conta dos malefícios das suas ações. O pior é que ele não possui humildade para reconhecer o fato.

A palavra hebraica para "arrogante" é gabahh, que significa orgulhoso, alto e exaltado. Por outro lado, o termo hebraico traduzido como "humildade" vem da raiz de um vocábulo que significa afligir, oprimir e humilhar. Na prática, a Bíblia nos mostra que quem se sente acima dos outros pode ser tentado a pisá-los, oprimi-los e humilhá-los, e essas são atitudes impensáveis para um servo de Deus.









III - O RICO VERSUS O POBRE
1. Riqueza e arrogância. Uma primeira leitura de Provérbios deixa claro que Deus condena tanto a riqueza adquirida por meios injustos, como a pobreza gerada pela preguiça. Por isso, a riqueza pode ser fruto da justiça, e a pobreza, às vezes, resultado da indolência e do ócio (Pv 28.19,20) “O que lavrar a sua terra virá a fartar-se de pão, mas o que segue a ociosos se fartará de pobreza. O homem fiel abundará em bênçãos, mas o que se apressa a enriquecer não ficará sem castigo (Pv 29.3) “O homem que ama a sabedoria alegra a seu pai, mas o companheiro de prostitutas desperdiça a fazenda”. Ninguém, portanto, deve ser elogiado meramente por ser pobre nem tampouco estigmatizado por ser rico.

Salomão, contudo, sabe que os muitos bens do rico podem levá-lo à prepotência e à arrogância (Pv 18.23) “O pobre fala com rogos, mas o rico responde com durezas”.


2. Pobreza e humildade. Devemos considerar, também, que há um tipo de pobreza que é resultado de um determinado contexto sócio-histórico (Pv 28.6) “Melhor é o pobre que anda na sua sinceridade do que o de caminhos perversos, ainda que seja rico”.  Em Provérbios é evidente que os sábios demonstram uma preferência pelo pobre. Este, mesmo não tendo uma vida econômica confortável, age com integridade e justiça (Pv 28.11) “O homem rico é sábio aos seus próprios olhos; mas o pobre que é sábio o examina”. Tal pobre é identificado como sábio, pois ele sabe que os valores divinos são melhores que as riquezas (Pv 22.1) “Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que as muitas riquezas; e a graça é melhor do que a riqueza e o ouro” (Pv 23.5) “Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Porque, certamente, isso se fará asas e voará ao céu como a águia”.








IV - O PRÍNCIPE VERSUS O ESCRAVO
1. Realeza: arrogância e humildade. Quando o livro de Provérbios foi escrito, a nação de Israel era uma monarquia. Nesta, a figura do rei recebe destaque especial. Em Israel, isso não seria diferente. Salomão era rei e sabia que, para governar, precisava da sabedoria divina, a fim de discernir entre o bem e o mal (1 Rs 3.1-10) “E Salomão se aparentou com Faraó, rei do Egito, e tomou a filha de Faraó, e a trouxe à Cidade de Davi, até que acabasse de edificar a sua casa, e a Casa do SENHOR, e a muralha de Jerusalém em roda. Somente que o povo sacrificava sobre os altos, porque até àqueles dias ainda se não tinha edificado casa ao nome do SENHOR. E Salomão amava ao SENHOR, andando nos estatutos de Davi, seu pai; somente que nos altos sacrificava e queimava incenso. E foi o rei a Gibeão para lá sacrificar, porque aquele era o alto grande; mil holocaustos sacrificou Salomão naquele altar. E em Gibeão apareceu o SENHOR a Salomão de noite em sonhos e disse-lhe Deus: Pede o que quiseres que te dê. E disse Salomão: De grande beneficência usaste tu com teu servo Davi, meu pai, como também ele andou contigo em verdade, e em justiça, e em retidão de coração, perante a tua face; e guardaste-lhe esta grande beneficência e lhe deste um filho que se assentasse no seu trono, como se vê neste dia. Agora, pois, ó SENHOR, meu Deus, tu fizeste reinar teu servo em lugar de Davi, meu pai; e sou ainda menino pequeno, nem sei como sair, nem como entrar. E teu servo está no meio do teu povo que elegeste, povo grande, que nem se pode contar, nem numerar, pela sua multidão. A teu servo, pois, dá um coração entendido para julgar a teu povo, para que prudentemente discirna entre o bem e o mal; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo? E esta palavra pareceu boa aos olhos do Senhor, que Salomão pedisse esta coisa”. A sabedoria (Pv 17.7) “Não convém ao tolo a fala excelente; quanto menos ao príncipe, o lábio mentiroso!” e a sobriedade (Pv 31.4) “Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes desejar bebida forte” são elementos indispensáveis ao rei para exercer a justiça e promover o bem-estar social de seu povo (Pv 29.4) “O rei com juízo sustém a terra, mas o amigo de subornos a transtorna”.

O governante que teme a Deus dará mais atenção ao pobre e ao humilde. Agindo assim, será abençoado perpetuamente (Pv 29.14) “O rei, que julga os pobres conforme a verdade, firmará o seu trono para sempre”. Mas o que não teme ao Senhor procederá arrogante e perversamente (Pv 29.2) “Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas, quando o ímpio domina, o povo suspira”.

2. Escravidão: humildade e realeza. A verdade de Provérbios 17.2 “O servo prudente dominará sobre o filho que procede indignamente; e entre os irmãos repartirá a herança” se cumpriu quando Jeroboão, servo de Salomão, tornou-se príncipe das dez tribos do Norte de Israel (1 Rs 12.16-25) “Vendo, pois, todo o Israel que o rei não lhe dava ouvidos, tornou-lhe o povo a responder, dizendo: Que parte temos nós com Davi? Não há para nós herança no filho de Jessé. Às tuas tendas, ó Israel! Provê, agora, à tua casa, ó Davi. Então, Israel se foi às suas tendas. No tocante, porém, aos filhos de Israel que habitavam nas cidades de Judá, sobre eles reinou Roboão. Então, o rei Roboão enviou a Adorão, que estava sobre os tributos; e todo o Israel o apedrejou com pedras e morreu; mas o rei Roboão se animou a subir ao seu carro para fugir para Jerusalém. Assim se desligaram os israelitas da casa de Davi até ao dia de hoje. E sucedeu que, ouvindo todo o Israel que Jeroboão tinha voltado, enviaram, e o chamaram para a congregação, e o fizeram rei sobre todo o Israel; e ninguém seguiu a casa de Davi, senão a tribo de Judá. Vindo, pois, Roboão a Jerusalém, ajuntou toda a casa de Judá e a tribo de Benjamim, cento e oitenta mil escolhidos, destros para a guerra, para pelejar contra a casa de Israel, para restituir o reino a Roboão, filho de Salomão. Porém veio a palavra de Deus a Semaías, homem de Deus, dizendo: Fala a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, e a toda a casa de Judá, e a Benjamim, e ao resto do povo, dizendo: Assim diz o SENHOR: Não subireis, nem pelejareis contra vossos irmãos, os filhos de Israel; volte cada um para a sua casa, porque eu é que fiz esta obra. E ouviram a palavra do SENHOR e voltaram segundo a palavra do SENHOR. E Jeroboão edificou a Siquém, no monte de Efraim, e habitou ali, e saiu dali, e edificou a Penuel.”. Mas um sentido metafórico e interessante para destacarmos nesse texto é que as pessoas provenientes de uma condição humilde, quando agem com prudência, sobressaem-se aos arrogantes. Os que, porém, desprezam a humildade, quando chegam ao topo agem como os soberbos.

Um ditado popular descreve isso com precisão: "Dê poder ao homem e você saberá o seu verdadeiro caráter". Tudo é uma questão de princípios, de atitudes e de caráter. Para que este se forme no indivíduo não depende da sua classe social, mas dos valores que lhe são germinados desde a mais tenra idade. Tudo é uma questão de princípios e de atitudes!
Que o pobre, ao tornar-se rico, não se esqueça de sua origem. Os seus valores lhe dirão o que ele se tornará: uma pessoa arrogante e egoísta ou alguém compassivo e generoso.








CONCLUSÃO
Na presente lição, vimos os contrastes entre o sábio e o insensato, entre o justo e o injusto, entre o rico e o pobre e entre o príncipe e o escravo. Estudamos também que a humildade ou a arrogância distinguirão uma pessoa da outra. A Bíblia nos orienta a cultivarmos a virtude da humildade e a rejeitarmos a arrogância, pois "Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes" (Tg 4.6).



________________________

OBS: O tamanho original de cada slide é 28x19 cm, para manter as proporções e qualidades dos slides, sugerimos alterar o tamanho do seu slide no PowerPoint em “Design” e depois “Configurar página”.

Referências

Revista Lições Bíblicas. SABEDORIA DE DEUS PARA UMA VIDA VITORIOSA, A atualidade de Provérbios e Eclesiastes. Lição 07 – Contrapondo a arrogância com a humildade. I – O sábio versus o insensato. 1. Sabedoria e humildade. 2. Insensatez, arrogância e altivez. II – O justo versus o injusto. 1. Justiça e humildade. 2. Injustiça e arrogância. III – O rico versus o pobre. 1. Riqueza e arrogância. 2. Pobreza e humildade. IV – O príncipe versus o escravo. 1. Realiza: arrogância e humildade. 2. Escravidão: humildade e realiza. Conclusão. Editora CPAD. Rio de Janeiro – RJ. 4° Trimestre de 2013.



Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. A paz, a graça e a misericórdia de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, seja com todos nós! A arrogância é uma ignorância humana, a humildade é um dom de Deus!

    ResponderExcluir
  2. A paz do Senhor !
    É muito trabalhoso montar slides .Parabéns por tão belo trabalho .
    Para vossa meditação :
    "Você já observou um homem habilidoso em seu trabalho? Será promovido ao serviço real; não
    trabalhará para gente obscura " ( Pv 22.29 ) .Parabéns !
    Que Deus me ajude a ser humilde .
    Orando por vós!
    Pr Milton Souza , A.Deus,Barra Mansa,R.J




    Publicidade

    ResponderExcluir
  3. Deus abençoe por essa grande benção. Paz do Senhor. Abç.

    ResponderExcluir
  4. Vou lecionar esta aula domingo que vem, estes slides sao nota 10, tem me ajudado muito.Que O Eterno continue abençoando a ti e a tua familia, e equipe.Feliz ano novo!!!.Shalom.

    ResponderExcluir
  5. EU GOSTARIA DE AJUDAR AO IRMAO EM ALGUMA COISA, QUERO QUE ESTA OBRA CONTINUE E SE MULTIPLIQUE.PAZ.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação! Volte sempre!